O verão não se tem revelado amigo das viagens aéreas. Os acontecimentos recentes levam muitas pessoas a questionar se devem voar ou guiar até ao seu destino de férias predilecto.
O mês de julho viveu trágicos acontecimentos como a queda do voo da Malaysia Airlines na Ucrânia e a queda de um voo da Air Algerie, presumivelmente no Mali ou na Argélia. Estes trágicos acontecimentos evocam também o desaparecimento de um outro avião da Malaysia Airlines, em março deste ano, criando uma sensibilzação negativa sobre as viagens de avião e provocando algum receio nas pessoas. Aliado a tudo isto, ainda nos surgem as notícias de atrasos e cancelamentos de vários voos da TAP.

Toda esta conjuntura leva a ponderar se será mais seguro, e fiável, carregar as malas no porta-bagagens, encher o depósito, e conduzir até umas férias descansadas.

Estatísticamente, continua a ser mais seguro viajar de avião. De facto, os acidentes de avião são tão raros que, por isso mesmo, são merecedores de tanta atenção pelos agentes noticiosos. O esmiuçamento de todos os pormenores leva a que as pessoas acabem por ter algum receio em viajar de avião. E quem não teria? A queda do avião da Air Algerie (o mais recente acidente noticiado) terá provocado a morte de perto de 200 pessoas. Com certeza seriam precisas algumas dezenas de acidentes de viação para se verificar o mesmo efeito devastador.

De carro ou de avião, não deixe que o medo se coloque no caminho de umas merecidas e descansadas férias. Afinal, acidentes podem acontecer em todo o lado, certo? Faça-nos uma visita e conheça todas as opções que poderá ter em consideração para voar… ou guiar, até lá.

Fale connosco.
Aqui fica uma sugestão de leitura, e aqui fica outra. (conteúdo em inglês)

Pin It on Pinterest

Share This